Da loucura inerente

01Abr08

Saint Laurent Publications, 2 de Outubro de 2005.

DA LOUCURA INERENTE.
McMillan Hunt

Ser micronacionalista é ser louco? Pois nos enfornamos num mundo não existente para o resto do planeta, divagamos em abstrações e sonhos que não existem a não ser para nós. Mera parcela de internautas insanos que acreditam existir um outro plano para desenvolver suas vidas.

Pois nada somos senão iludidos , em crer poder fazer acontecer nos limites aquém da matéria. Por criar um novo ego para nossas almas , por dedicarmos nossas vidas à realizações que permanecerão intocadas a não ser por nós mesmos. Vivendo em dois mundos paralelos e simultâneos , nos baseamos na coesão de nossa própria ilusão.

Assim , unidos em nossa loucura , criamos , debatemos , transformamos e destruímos coisas que materialmente não existem , que apenas ocupam o território de nossa mente. Mentes incessantes , implacáveis , irrefreáveis , crente até a própria vida de que o que fazemos realmente existe e nos é significante.

“(…) Sábio é aquele que vive de acordo com as regras da razão , e louco , ao contrário , é o que se deixa arrastar ao sabor de suas paixões.”
ERASMO DE ROTERDÃ , ” Elogio da Loucura” – 1508

DA NOSSA PAIXÃO

Ser micronacionalista é estar apaixonado? Pois muitas vezes é inegável que este mundo não saia de nossa cabeça onde quer que vaguemos com nossas vidas , que aqui criamos sentimentos por algo que sabemos que , em pura razão , é plena loucura. Como dizem todos aqueles com que falamos deste nosso Universo , somos insanos sonhadores , sim , apaixonados pelo que criamos nesta nossa vida outra , e por isso é tão difícil largá-la , seus sofrimentos são como os da vida ordinária. Nossas emoções por vezes despertam-se mais neste nosso mundo , onde podemos fazer acontecer , estar no lugar social que realmente aspiramos , ter a posição de ação que nossa personalidade almeja!

Por quê não largar isso tudo ao ver que nada disso existe? Pois nada existe senão aquilo que presenciamos e alteramos , pois somos apaixonados pela paixão deste nosso meio de vivência tão sólido , que faz-se ser crente ao simplesmente experimentar ousar dedicar-se apaixonadamente.

DE COMO É BOM ESTAR APAIXONADO

Ser micronacionalista é gostar de apaixonar-se? Pois o que mais faz-nos sentir vivos , pulsantes do o nosso próprio coração ardendo? Seja por um moço , uma moça , uma obra , um livro , um trabalho , enfim , ao que quer que seja! Verdade nos é que este nosso mundo nos proporciona muito mais potencial de paixão do que o ordinário , aqui nossas vidas são notadas , aqui nossas idéias se fazem perceber , aqui alteramos realmente o meio que vivemos.

Sem contar que aqui somos livres! Livres apaixonados regulados pelos limites de nossa imaginação , a coisa mais apaixonante para todo homem , que o permite além de tudo , apaixonar-se por qualquer outra coisa. Ou seja: que o faz sentir a si mesmo.

Estar apaixonado é como aumentar as proporções de nosso ser para o exterior , fazer uma comunhão sentimental com aquilo que preenche o ser. É como estar assim pois vamos até as últimas consequência de nós mesmos , pois nos dedicamos sem compromisso ou vontade de reconhecimento ao que quer que façamos.

DE NOSSA LOUCA RAZÃO

Ser micronacionalista é usar alguma razão? Pois sem ela nada nos anda , tudo o que fazemos tem ela como intermédio. Embora sejam os ditamos de nossos sonhos os planejadores deste nosso Universo , é a Razão sua construtora. Pois uma vez mergulhado conscientemente na loucura , aflora-se a razão.

Pois o entendimento de ser louco é também lógico & racional. Em tudo , e em nossa loucura não seriamente diferente , existe algum tipo de razão que possa ser identificada ou apreendida. Embora num mundo não material , Nós , os Homens! , desenvolvemo-nos também naturalmente nesta realidade , e é faculdade genuinamente nossa fazer tudo de acordo com a nossa mente , no caso , racional.

Ser micronacionalista não é fugir para os limites infinitos da insanidade , é aceitá-la justamente como uma ferramenta de ajuda na construção de nossa razão.

DO RELATO DE UM LOUCO

Sou louco?Pois aceito tudo o que foi dito e , ainda sim , sou feliz e não pretendo deixar de ser micronacionalista! Ao contrário , o quanto mais vejo que todo este nosso Universo é senão criação de nossa própria imaginação , de nossos sonhos , da Lua! , Eu mais gosto de tê-lo ao meu lado.

Não pretendo voltar. Irei mergulhar o mais profundamente possível neste micronacionalismo , não há , além de tudo , muita saída para os que já foram apaixonadamente , a aceitaram de braços abertos a nossa Loucura Inerente.

E além de Ser um Apaixonado , adoro me apaixonar! E não quer parar com isso em minha vida , pois quanto mais apaixono-me , simplesmente mais vivo! Apaixonar-se até morrer , seguir nossos instintos mesmo que sejam de um ponto de vista…Loucos.

” E , por isso , sede saudáveis , senti o sabor da alegria , vivei , bebei , ilustres iniciados nos mistérios da Loucura.”
IDEM



No Responses Yet to “Da loucura inerente”

  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: